Contact

(55)53 3252-1879

©2018 by Igreja Batista Conservadora. Proudly created with Wix.com

Culto de Santa Ceia e Batismo.

No Culto de Santa Ceia do Senhor do Mês de agosto, tivemos a felicidade de receber mais quatro irmãos para participar do Corpo de Cristo.

- Então, Jesus aproximou-se deles e disse: "Foi-me dada toda a autoridade nos céus e na terra. Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu ordenei a vocês. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos". 
Mateus 28:18-20

Acampamento de Verão Mocidade Batista Conservadora.

Nos dias 3,4 e 5 de fevereiro, a Mocidade Batista, liderança e família pastoral participaram do retiro de verão. Foram três dias de avivamento espiritual e muita diversão. O tema deste ano foi: “Buscai ao Senhor enquanto se pode achar – Isaias 55.6A”

Dia Internacional da Mulher

Todo ano para nós é motivo de grande Alegria comemorar esta tão ilustre data. E este ano não foi diferente, irmã Michele Rosa caprichou em cada detalhe, aproveitando o tema de estudo mensal do departamento feminino, Alegria, ela preparou uma noite agradável na presença do Senhor, com muitas irmãs e amigas na Casa do Senhor.

Palestra sobre Depressão

Na data do dia 16 de fevereiro, a líder do dep. Feminino, Maria Bartz organizou uma palestra com tema: Depressão, voltada ao publico feminino. A palestra foi explanada pela psicóloga Patrícia Cavalheiro e contou com a participação de muitas irmãs e amigas, no salão social de nossa igreja. Tema muito discutido nos dias atuais, depressão é uma doença incapacitante que atinge por volta de 350 milhões de pessoas no mundo. Os quadros variam de intensidade e duração e podem ser classificados em três diferentes graus: leves, moderados e graves. 

Existem fatores genéticos envolvidos nos casos de depressão, doença que pode ser provocada por uma disfunção bioquímica do cérebro. Entretanto, nem todas as pessoas com predisposição genética reagem do mesmo modo diante de fatores que funcionam como gatilho para as crises: acontecimentos traumáticos na infância, estresse físico e psicológico, algumas doenças sistêmicas (ex: hipotireoidismo), consumo de drogas lícitas (ex: álcool) e ilícitas (ex: cocaína), certos tipos de medicamentos (ex: as anfetaminas).

Mulheres parecem ser mais vulneráveis aos estados depressivos em virtude da oscilação hormonal a que estão expostas principalmente no período fértil.

Aniversário de um ano Orquestra Batista 

01/07/2018 ás 19:30hs

Setembro Amarelo - Prevenção ao Suicídio

Em decorrência aos temas tratados mensalmente, o mês de setembro é designado Amarelo em

auxílio e prevenção ao Suicídio. Dia 28 de Setembro, realizamos uma 'Mesa Redonda', uma roda

de conversa com nossos jovens e amigos sobre esse tão importante assunto.

O conversa foi conduzida por nosso Pastor Joel Lopes, também pela Psicóloga Patrícia Cavalheiro e

pela Enfermeira Taís Antunes.

Nove em cada dez mortes por suicídio podem ser evitadas. O dado, da Organização Mundial da Saúde (OMS), indica que a prevenção é fundamental para reverter essa situação, garantindo ajuda e atenção adequadas.

A primeira medida preventiva é a educação. É preciso perder o medo de se falar sobre o assunto. O caminho é quebrar tabus e compartilhar informações. Esclarecer, conscientizar, estimular o diálogo e abrir espaço para campanhas contribuem para tirar o assunto da invisibilidade e, assim, mudar essa realidade. 

Hoje, 32 brasileiros se suicidam diariamente. No mundo, ocorre uma morte a cada 40 segundos. Aproximadamente 1 milhão de pessoas se matam a cada ano. Sabe-se que os números são muito maiores, pois a subnotificação é reconhecida. Além disso, os especialistas estimam que o total de tentativas supere o de suicídios em pelo menos dez vezes.  

Mas como buscar ajuda se muitas vezes a pessoa sequer sabe que pode receber apoio e que o que ela sente naquele momento é mais comum do que se divulga? Ao mesmo tempo, como é possível oferecer ajuda a um amigo ou familiar se também não sabemos identificar os sinais e muito menos temos familiaridade com a abordagem mais adequada?

É fato que o suicídio é um fenômeno complexo, de múltiplas determinações, mas saber reconhecer os sinais de alerta pode ser o primeiro e mais importante passo.

Isolamento, mudanças marcantes de hábitos, perda de interesse por atividades de que gostava, descuido com aparência, piora do desempenho na escola ou no trabalho, alterações no sono e no apetite, frases como “preferia estar morto” ou “quero desaparecer” podem indicar necessidade de ajuda. 

O suicídio é um ato de comunicação. Quem se mata, na realidade tenta se livrar da dor, do sofrimento, que de tão imenso, parece insuportável. Falar ainda é a melhor solução!!